01 May 2007

Os olhos da cara!

Em Tokyo é possível pagar caríssimo por uma refeição apenas pela fama ou localização do local – o mesmo que acontece em outros lugares do mundo. O problema não é pagar muito, mas desembolsar uma quantidade razoável de dinheiro e não ficar satisfeito com a comida. Fomos para um brunch no domingo. Paul escolheu o restaurante New York Grill que, segundo ele, é considerado um dos melhores do mundo. Meu marido é especialista em encontrar os “mais mais” de qualquer cidade.

O restô fica no 52º andar de um prédio em Shinjuku e faz parte do Hyatt Park Hotel. A decoração luxuosa e o atendimento 100% (aliás, atendimento aqui no Japão, com raras exceções, é sempre impecável!), mas a comida... a comida... O brunch tem um preço fixo, 6,200 ienes por pessoa (uns R$ 105). Você escolhe o prato principal e tem direito ao buffet de entradas e sobremesas. Achei que seria super difícil me manter na dieta porque seriam muitas opções. Enganadíssima! As entradas não encheram meus olhos, muito menos as sobremesas. De entrada, comi tomates com queijo de búfala e torradas. E, de sobremesa, sorvete de baunilha (isso mesmo!) com morangos. Paul comeu um pouco mais, mas também disse não ter saído satisfeito. “Vale pela experiência, mas não é um lugar para se ir novamente”, comentou.

Fiquei sem muitas opções porque sou meio fresca. Aliás, pagando 6,200 ienes por uma refeição, posso dizer que sou seletiva – não fresca! É que as opções eram: 1) carneiro/cordeiro com molho disso; 2) porco com molho daquilo; 3) peixe com cogumelos e não sei mais o quê; 4) frango grelhado com outros trecos. Eu não como carneiro/cordeiro, porco e, muito menos, cogumelos. Sobrou, então, o frango grelhado. Honestamente, o franguinho que meu marido faz dá de mil a zero! Fiz questão de dizer isso para ele, mas com classe, para não parecer que estava reclamando de “barriga cheia”. Afinal, foi ele quem pagou por aquele luxo e não quis ser grosseira.

O local tem uma vista maravilhosa de Tokyo (foto) e é por essa vista, acredito, que pagamos. Como disse meu marido, vale pela experiência... Depois, descobrimos que tem um café no mesmo andar e, para lá, pretendemos levar algumas pessoas que vierem no visitar para um chá da tarde (chiquérrimo!). Também não é barato, se não me engano, custa 3,000 ienes por pessoa. Mas, é bem agradável também.

Uma coisa legal aqui no Japão é que, mesmo em restaurantes sofisticados, a sua roupa é um detalhe. Não há tratamento diferenciado para quem estar super bem vestido e quem está mais casual. Claro que estou falando de um brunch e não de um jantar à noite. Mas, mesmo assim. Se fosse no Brasil (no Nordeste, pelo menos), eu teria que ir quase de longo, como se fosse para um casamento, só porque o restaurante é chic. Afe! Acho que até me barrariam na porta por estar de saia jeans e blusinha básica.

PS: Eu voltei! Não, a intenção de acabar com o blog não era golpe para testar minha popularidade. Mas, confesso, o depoimento da Thais me emocionou. Fui tocada pelo comentário dela e me senti responsável por ter cativado o carinho dela e de outras pessoas. Vou postar sempre que possível, tá? Só que vou falar de assuntos mais abrangentes (não só o Japão) e pretendo mudar o nome do blog.. fiquem na expectativa! :p

2 comments:

Anonymous said...

Oi Gisele, me chamo Camilla e acompanho o seu blog ha pelo menos um ano e confesso que fiquei um pouco triste qdo vc disse que pararia de escrever. É bom saber que voce mudou de idéia e agora acho que ja esta mais do que na hora de eu me apresentar.
Eu morei durante muito tempo em Londres e me deparei com o seu blog qdo estava pensando em me mudar para a Nova Zelandia.
Eu e meu marido nos mudamos em Junho do ano passado e estamos adorando esse pedaco de paraíso, e seu blog me deu varias dicas e tambem uma visao geral do que esperar do país.
Eu tb tenho um blog, fique a vontade para aparecer por la:
http://camillar.multiply.com

Bem vinda de volta!
xxx

karuzo said...

Pagar caro para banquete do terror não rola né?! Isso quando não vem aquele prato com resto de salada do almoço do cozinheiro colocado no canto de um prato de Itu e com o espaço vazio preenchido com molho derramado cuidadosamente em zigue-zague. Fala sério!Sou mais um PF de obra com tutu com arroz tropeiro e farofa com molho à campanha!!