02 August 2006

Ontem foi o dia das emoções. Tivemos a alegria de abrir a conta no banco sem nenhum problema - nos tornamos clientes do Shensei Bank. Depois, tivemos a decepção de não conseguir comprar meu celular porque a operadora exige a carteira de identidade de estrangeiro (que só chega daqui a 15 dias), embora o banco tenha aceitado o documento que prova que nós solicitamos a carteira. Vá entender! Hoje devemos procurar uma outra operadora, que foi bem indicada pelos japoneses e pelos meus amigos Cláudia e Ricardo (vocês vão "ler" muito esses dois nomes). E, para finalizar, a satisfação de que desvendamos mesmo os segredos do metrô e já nos locomovemos sem muito sacrifício (apesar dos painéis em japonês) e até compramos nosso cartão de acesso - que você regarrega quando o dinheiro vai acabando. O cartão não torna o serviço mais barato, mas ajuda porque não temos mais que ficar calculando quanto custa de um lugar para o outro porque o cartão faz isso automaticamente.

Em termos de programação turística, fomos a um bairro muito legal chamado Roppongi. Paul e eu já tínhamos lido a respeito do bairro e algumas pessoas indicaram como um bom lugar para morar porque, entre outros aspectos, é um bairro onde há boa concentração de estrangeiros. Fomos lá e confirmamos a informação. É super agradável e não muito longe do centro, o que facilita no deslocamento de Paul no percurso casa-trabalho-casa. Além da atmosfera legal, o bairro tem um super centro comercial com as maiores lojas de grife do mundo. Faz um bem aos olhos. Tinha uma até bem interessante, apenas com sombrinhas e o slogan era: inverno com estilo. Esses japoneses!!!

Já era tarde da noite quando saímos para jantar. Nosso hotel fica do lado de um estádio de baseball, com direito a shoppings, galeria de famosos e até museu. Os japoneses adoram baseball. Pois bem, não sabíamos que estava tendo jogo e quando chegamos lá embaixo tinha, honestamente, um mar de gente. Conseguimos driblar a multidão e fomos para o Tokyo Dome City (uma espécie de centro temático onde fica o estádio, um parque de diversões, muitas lojas, restaurantes e até supermercado - acho que o nosso hotel é parte do complexo). Depois de muito andar, paramos para jantar no Bubba Gump, restaurante inspirado no filme Forrest Gump. Super interessante! Os pratos são à base de frutos do mar. Acho que vou comer aqui no Japão todos os frutos do mar que não comi na Nova Zelândia - aqui carne é que é caro, para desgosto do meu marido, que não gosta de frutos do mar (fotos no outro blog).

Hoje nossa programação é ir visitar um templo e um dos jardins do Palácio Imperial que é aberto para visitantes, incluindo um museu. Tudo free. Também devemos ir em dois outros bairros para investigar um pouco as opções de moradia. Prometo contar tudo mais tarde.

1 comment:

Anonymous said...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. film editing schools