24 August 2006

Meu marido está se embelezando para sair com os amigos do trabalho. Aqui no Japão é bem comum isso de ir tomar umas com os colegas da empresa. Tem homem, segundo as más línguas, que faz isso todas as noites. Dizem as mesmas más linguas que as mulheres não gostam quando os maridos ficam em casa porque, de acordo com os relatos, "homem em casa só atrapalha e não faz nada além de pedir isso e aquilo". Eu espero que Paul não se acostume com essa vida de viver peruando à noite (sem mim!) porque eu não acho um saco quando ele está em casa. Do contrário, é sempre bem divertido quando ele está por perto.

Enfim.. ele vai e eu fico. Também não poderia ir junto, mesmo se tivesse sido convidada, porque estou esperando umas compras que fiz antes de ontem pelo site de um supermercado brasileiro. Você escolhe os produtos online e eles entregam no conforto do lar com direito a escolher o horário mais conveniente para receber os produtos, eu optei por receber entre 20h e 21h. Com a vantagem ainda de não pagar nada com cartão de crédito - o pagamento é feito quando a mercadoria chega. Achei a idéia bacana e eles têm carne por um preço bem legal, sem contar outras coisitas made in Brazi, como palmito.... amanhã, teremos salada com palmito. Eba! Eba!

************
Hoje eu fui num lugar fazer uma coisa. Passei boa parte da tarde lá. Não fiz nada ilegal, prometo! Por enquanto vai ficar o mistério, mas aguardem os próximos capítulos da minisérie “O dia em que fui no lugar legal e conheci uma galera bacana”. Depois que sai de lá meu estômago fez a conexão com meu cérebro e eu lembrei que não tinha almoçado. É que tenho acordado tarde e o café da manhã tá meio que virando almoço – uma droga, eu sei! Então, fui num noodles bar. Eu já tinha visto um aqui perto de casa, mas nunca tinha ido porque você paga a refeição numa máquina, pega o ticket e entrega para receber a comida. O problema é que nesse perto de casa não tem a foto do prato, então, fica impossível escolher só pelo o que está escrito em japonês. Nesse de hoje tinha a foto e o noodles estava uma delícia. Sei que tempero de comida é fome, mas tava bom mesmo!

Parei de escrever uns minutinhos... Fui levar Paul na estação do metrô. Meu marido é meio desorientado. Eu digo que faltei às aulas de coordenação motora no maternal e ele faltou as de orientação quando era escoteiro. É que onde moramos, apesar de não gostarmos da área, temos à nossa disposição duas estações e três linhas de metrô. Uma mão na roda porque vamos para várias partes de Tóquio de forma até rápida. Então, ele só sabe ir para uma das estações, onde ele pega o metrô para ir para o trabalho todo dia. Pode?!? Valeu a caminhada (de 4 minutos, ida e volta) e mais um elogio que ganhei no meio do caminho. Maridão sabe das coisas!!!

Bom, na volta do lugar misterioso, depois de ter comido os noodles, eu parei em um supermercado. Como vocês já sabem, eu compro algumas coisas pela cara. Dessa forma, descobri uma linha de temperos/molhos que é bem gostosinha e o modo de preparo vem explicado com ilustrações. Mostra que primeiro você faz a carne, depois acrescenta os legumes ou verduras e, por último, coloca o molho. Comprei mais do molhinho salvação e outras coisitas. Ao chegar no caixa, o vexame*! Eu troquei de bolsa hoje e esqueci que eu coloco meu dinheiro num bolsinho, dentro de um bolso na minha bolsa. Com a troca, eu esqueci de pegar o dinheiro. A sorte é que consegui perguntar a moça do caixa se eles aceitavam Visa e ela confirmou. Ufa! Eu tinha pago o noodles com moeda, por isso não tinha percebido que estava desprevenida.

É isso. Vou ficar agora aqui esperando minha encomenda chegar e torcendo para Paul não chegar muito tarde. É que meu plano hoje é deitar mais cedo e conseguir acordar mais cedo amanhã – assim, colocar meu relógio biológico em uma ordem mais natural. E também deixo de ter essa sensação de que perdi metade do dia porque acordei às 10h da manhã. Até comprei chá de camomila para acalmar os nervos e ajudar a relaxar. É que eu preciso aproveitar o período da manhã para estudar japonês, já que minhas tardes são dedicadas a resolver coisas e bater perna, lógico!

*Confissão: fui procurar no dicionário se vexame era com ch ou x. Fiz uma pesquisa rápida no Google e encontrei escrito das duas formas. Mas, segundo o Houaiss é com x mesmo.

2 comments:

Raquel said...

Oi, Gisele! Adorei a frase “O dia em que fui no lugar legal e conheci uma galera bacana”. Obrigada pela parte que me toca. A Karina disse que voce perguntou se eu tenho blog. Eu nao tenho, mas o meu marido tem e ele so escreve sobre o Japao. Quando puder dar uma passada no http://projectandromeda.blogspot.com

Beijo

Gisele Scantlebury said...

Raquel, obrigada. Vou dar uma olhada no blog do seu marido sim. Eu adoro blogs e eh sempre bom ler o ponto de vista de outras pessoas sobre o lugar onde moramos. Beijos!