26 January 2008

O poder das moedas!

Depois de morar na Nova Zelândia e agora no Japão, eu passei a dar um valor maior às moedas. Confesso que no Brasil eu chegava até a perdê-las porque não temos a cultura de valorizá-las, mas nesses dois países elas valem e muito! Sem contar que por aqui eles nos dão de volta cada centavinho de troco, não tem isso de bala ou ficar devendo 1 iene ou dois, você recebe seu troco certinho. Isso em qualquer lugar, dos grandes supermercados aos fiteiros (*) das estações.

Hoje a gente fez uma super operação limpeza aqui em casa e eu resolvi "limpar" também o meu cofrinho. Eu não sou muito fiel a ele, mas sempre coloco lá moedinhas de 1 e 5 ienes, do contrário a carteira fica pesada demais com tanta moeda. Pois bem, eu tinha pouco mais de 3 mil ienes (mais ou menos 49 reais). O montante foi suficiente para pagar metade do meu seguro-saúde e ainda arrancar um sorriso do atendente da loja de conveniência. Ele até me disse para voltar sempre quando tiver moedinhas para pagar algo ou até trocar com ele.

Amanhã, compro novo cofrinho para recomeçar minha poupança. Pode ser pouquinho, mas é sempre bom um dinheirinho não esperado para ajudar no orçamento doméstico.

(*) Fiteiro é pernambucanês para as barracas que vendem bombons na porta das escolas ou nas ruas da cidade. Gisele também é cultura! =)

6 comments:

renato said...

Nossa Gisele, muito legal esse seu blog! Gostaria muito de morar no Japão um dia, todos esses textos dão mais vontade de conhecer essa terra incrível. Você cursou jornalismo em Recife? Como foi parar no Japão? (Sou de João pessoa)

Estou em dúvida se faço ou não jornalismo, talvez você possa me ajudar um pouco! Abraços!

Erica said...

Oi Gisele!
Acabei de chegar da clinica de olhos que voce recomendou! Fiquei assustada, nunca fui numa clinica tao chique, tao moderna, com um mooonte de aparelhos! E marquei a cirurgia pra sabado agora! Ai que medo! hehe... Torce por mim tah, e depois te conto!
Bjao

Gisele Scantlebury said...

Oi Renato, obrigada pela visita e pelos elogios. Pois é, me formei em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Em janeiro de 2004 me mudei para Nova Zelândia, onde conheci meu marido. Ele foi transferido para cá e eu vim junto (risos!). Como posso te ajudar em relação à sua dúvida de fazer jornalismo? Abraços!

Erica, se quiser, eu posso dar um pulinho lá para te conhecer antes da cirurgia. Qual é o horário? E fica tranquila que vai dar tudo certo. Beijos! =)

Erica said...

Oi Gisele! ^^
Nossa, nao quero que perca um sabadao por minha causa! Tah marcado pra 12:45, e nao sei exatamente que horas vou chegar, ja que vai depender a hora que meu namorado vai sair do servico.
Vou deixar, meu email, pode me escrever, add, no msn, qualquer coisa..hehe
erikinha_pyonpyon@hotmail.com
o email do meu celular eh igualzinho (docomo tah).
Eu te adicionei no orkut agora tah..hehe..bjao..
E nao se preocupa, estou tranquila (por enquanto! rs)

renato said...

Olá, Gisele! Legal essa sua jornada mundo afora xD. Então, quanto à minha dúvida, eu queria saber um pouco o que é preciso ter pra querer ser um jornalista, eu mesmo gosto de ler muito sobre várias coisas diferentes, mas na hora de escrever eu me atrapalho um pouco, e sobre o mercado de trabalho e talz... Se você puder me ajudar vou ficar muito grato!

qualquer coisa meu e-mail é arthur_renato@hotmail.com

Obrigado!

Anonymous said...

Oi, Gisele. Tudo bom? Sou jornalista do G1 e gostaria de pegar seu e-mail, pois estou procurando brasileiros que moram no japão e têm blogs. me manda uma mensagem? jcarpanez@corp.globo.com.
Obrigada!