28 November 2007

Eca, eca e eca!

Sempre tive meio que inveja das mulheres que são vaidosas, gostam de passar horas no salão, estão sempre impecáveis, com pernas depiladas etc e tal. Porque eu adoro o resultado, mas não tenho muito paciência alguma para o antes e o durante. Para mim, é quase uma tortura a qual me forço de vez em quando! Mas, acredito, que tudo tem limite e que certas coisas devem ser feitas entre quatro paredes ou em locais determinados e sem platéia.

Esse desabafo todo é para falar de uma cena que eu preferia não ter visto, mas sei que tem coisa que é melhor ver do que ser cego. Ontem, eu não estava 100% mas achei que era bom ir para academia assim mesmo - para não perder o hábito e pelo menos tentar fazer alguma atividade. Também estavam nos meus planos passar alguns minutos na sauna e na jacuzzi.

Ao chegar no spa da academia, o primeiro contratempo: a jacuzzi estava desligada, coisa que eu nunca tinha visto antes. Já fiquei meio tristinha, mas nada de desânimo porque me restava a sauna. Estava eu lá, relaxando, com meus olhinhos fechados quando começo a ouvir um barulho de algo sendo lixado. Abri os olhos e não acreditei. A criatura estava lá, nua, de pernas cruzadas, LIXANDO OS PÉS COM PEDRA POME.

Os restos de pele dela caindo parte no chão e parte na toalha. Detalhe: não podemos entrar calçados na sauna (nem de Havainas) e todas sentamos naquela toalha. Eu, pelo menos, estou sempre enrolada em uma toalha, mas tem muita gente que senta ali como veio ao mundo. Como costuma dizer uma amiga minha: "Ah se eu falasse japonês!".

Os cremes que ela passou no corpo, no cabelo e nos pés tinham cheiro forte, mas isso não incomodava tanto. Agora, ficar ouvindo aquela lixação e imaginar que eu podia pisar nas células mortas dos pés dela foi motivo suficiente para eu me retirar. A academia tem um monte de cartazes sobre a etiqueta no spa, tudo em japonês. O único aviso em linguagem universal (desenhos) é o que informa que devemos tomar uma ducha antes de entrar na sauna. Fui reclamar na recepção e também perguntar o motivo da jacuzzi estar desligada, mas a funcionária super simpática que fala inglês não estava lá.

Aqui não é raro ver gente fazendo a higiene pessoal em locais públicos, como nos trens. Já vi uma mulher limpando o ouvido, vários fazendo a faxina nas narinas (o famoso tirando catota), homens e mulheres fazendo a sobracelha e tudo mais. Afinal, como bem lembrou a Bruna, os japoneses passam boa parte do seu dia nos trens, mas, sinceramente, essa bateu o recorde!

2 comments:

Fatima Antunes - www.henagaijin.com said...

eca, eca, eca!!!! nossa Gisele ninguem merece ne? Mas reclame mesmo nao deixe barato. Eu adoro os spas daqui, ter esse conforto academias publicas acho o maximo.Mas confesso tenho um receio de pegar micoses e fungos. Memso minha amiga jaonesa dizendo que por ser quente mata os microbioskkkk nao confio nisso. Quando quero curtir um Spas (Onsen) com massagem e tudo...vou nos privados sao baratinhos por 2.500 yenes voce tem todos os tipos de sauna, ofuros,aromaterapia stone massagem etc..... e o controle eh bem mais rigoroso.

Verô said...

Nossa q nojinho isso eh no japao?
bomm saber....