06 October 2007

Viaje bem?

A ministra Marta Suplicy vai ter muito trabalho para frente se pretende mesmo incrementar o turismo no Brasil. Cheguei ao País há mais ou menos 20 dias e até agora viajei de avião quatro vezes. Nenhuma delas foi 100%, mas até aí tudo bem porque ninguém está livre de imprevistos. Vou relatar apenas o que aconteceu de pior até agora:

- São Paulo/ Brasília (pela GOL): o avião saiu no horário e nós chegamos no horário. Quase nem acreditei depois de ler tanto sobre caos aéreo e até achei que o resto da minha estada no Brasil seria uma maravilha. Mas ao chegar em BSB, esperamos quase 1h pelas nossas bagagens. Ninguém sabia explicar o motivo do atraso e, pior, os funcionários só foram nos dar alguma satisfação depois que um passageiro fez um escândalo e foi lá na Polícia Federal fazer queixa. A companhia alegou que teve que passar todas as bagagens no raio-x a pedido da Polícia Federal. Mas será que ninguém poderia ter nos avisado? Outra coisa, o espaço entre as cadeiras é mínimo. Paul (que tem 1.83m, mas não é nenhum gigante) ficou com os joelhos ralando na cadeira da frente, o avião é apertadíssimo. Ninguém mais percebeu?

- Fortaleza/São Paulo (pela TAM): Depois que todos já estavam a bordo, o piloto informou que o sistema da companhia estava fora do ar e que ele precisava aguardar a liberação de um documento para decolar. Esperamos mais de 1h dentro do avião até conseguir a tal liberação. Se esperar 1h no aeroporto já é ruim, imaginem dentro do avião? Em seguida, fiquei sabendo que houve uma mudança e que nosso avião não iria para o aeroporto de Congonhas, conforme a reserva feita, mas para Guarulhos. Me senti um cocô porque eu devia ter checado logo quando a atendente me deu o cartão de embarque, mas nunca imaginei que isso podia acontecer. E mais: o nosso vôo que era direto agora iria fazer escala no Rio de Janeiro. Para completar, enquanto esperávamos a bagagem, ouvi um funcionário da TAM aos berros: "quem são os passageiros que vão para Congonhas?". A empresa disponibilizou um ônibus para nos levar, só que a aermoça "esqueceu" de nos avisar ainda dentro do avião. Se eu tivesse ido ao banheiro, por exemplo, teria perdido o tal chamado. Que qualidade de serviço é essa?

E um último aviso a todos, independente da companhia aérea: até agora minha bagagem não foi conferida nenhuma vez. As empresas continuam fornecendo o ticket da bagagem, mas não existe mais, aparentemente, aquele funcionário que checa se você está levando apenas o que é seu. Gente, isso é um absurdo! Qualquer pessoa pode sair do aeroporto levando sua bagagem. Foi assim nos aeoportos de São Paulo, Brasília e Fortaleza. Portanto, assim que desembarcarem, corram para a esteira das bagagens. Do contrário, a dor de cabeça pode ser grande!

5 comments:

Ricardo Soares said...

nova zelândia e toquio? o que fazes em toquio ?? adorei os relatos sobre hiroshima...o caos aéreo do brasil é pior ainda do que vc imagina...
kiss
ricardo

Karina said...

Olá!
Concordo plenamente qto ao espaço entre as poltronas do avião, eu sou pequenina e já me sinto meio desconfortável, para quem é grande então, deve ser uma tortura.
E me diz quem teve a "brilhante" idéia de substituir os pãezinhos por barras de cereais e amendoins?!
Mas, como dizem aqui no Brasil, a gente se "f***" mas se diverte né?!
hehe!
Espero que vc tenha uma boa estada e aproveite bastante pra matar a saudade das pessoas, do clima, das músicas, dos quitutes...^^
Bjos

Margot said...

oi Gisele

Eu também usei bastante os aviões da GOL, realmente são apertados, mas como sempre tem falhas no atendimento.
Mas, ontem meu pai ia embarcar no aeroporto de Cumbica, mas parece que deu uma complicação, bom meio difícil de explicar, depois eu conto.
Aproveita bastante por aí,
beijos

Anonymous said...

To aki morrendo de rir kkk... Imagina eu ano q, veem c, Tate e Stephen ainda bem q, ficaremos so no Rio de Janeiro e vou direto p, Buzios e nao saio de la... Viagem p, Belem do Para vai ficar uma outra vz qndo eu for ao Brasil ufa bjs da V

Jeanine Almeida said...

Oi Gisele! Mas esta história de não checar a bagagem também se aplica aqui na NZ. Eles nunca checam nadinha. Aliás, a esteira de bagagem fica em um lugar aberto em Christchurch. Tudo bem que aqui é bem diferente do Brasil mas também pode ter gente desonesta. No Brasil há muito tempo eles não checam nada e eu fico até impressionada que com 5 anos trabalhando na HP e indo e voltando para SP todas as semanas, nunca tenha acontecido nada com a minha bagagem. Seria só questão de sorte? Beijos!