05 January 2007

Para matar saudades?

A idéia é ótima. Um lugar para divulgar a Nova Zelândia como roteiro turístico e também para servir de ponto de encontro para os kiwis e ajudar a matar a saudade de casa. A decoração do lugar é bacana, a localização é excelente. Também é bom poder ver os vídeos com imagens lindas do país (que tem cada paisagem fantástica). Mas, em termos de comida, deixa muito a desejar. O "meu kiwi" que o diga...

Tudo bem que nós dois chegamos ao lugar cheio de expectativas. Queríamos encontrar um brunch igual aos que estávamos acostumados a ter em Auckland, com eggs benedict, french toast, panquecas, um delicioso chocolate quente e por aí vai. Foi uma decepção. O tamanho dos pratos lembra mais culinária francesa do que neozelandesa de tão pequenos (os kiwis adoram fartura). E não para por aí... Eles inventaram uns pratos com kiwi fruit que nunca vimos na Nova Zelândia. Nem mesmo o flat white (um café com leite que os neozelandeses adoram) tem.

O café também peca pela seleção da trilha sonora. Quando chegamos ouvimos músicas cantadas/tocadas por artistas do país, mas depois parou. A produção de música na Nova Zelândia é grande o suficiente para ficar tocando sem repetições por alguns dias. Não entendemos porque, de repente, começamos a ouvir a Dido (cantora que eu adoro, mas que ficou meio fora de contexto naquele momento).

Eu adorei rever fotos dos maoris (primeiros habitantes conhecidos da Nova Zelândia), peças de artesanato do país e tal. Mas, saímos de lá com fome e frustrados. Uma pena! Quem quiser conferir, o café fica em Roppongi. Posso passar as coordenadas...


* Em tempo: os neozelandeses são conhecidos como kiwis por conta do pássaro que é símbolo do país. O kiwi (pássaro) recebeu esse nome porque tem a penugem parecida com a casca marrom do kiwi (fruta), que é originário de regiões montanhosas do Sudeste da China.

6 comments:

Karina Almeida said...

esquenta nao...

aqui, feijoada eh servida com salada de alface e tomate...

se bem que no acaraje (um restaurante brasileiro em roppongi) tem couve. ufa!

vai ver tem outro bar de kiwi mais proximo da realidade. serah que nao?

vitor said...

talvez a Karina tenha razao. sera q nao tem nenhum neozelandes q teve a ideia de montar algo assim? se nao teve acho q vcs deveriam monta. hehehe

karuzo said...

Ola! Tava de bob e passei por aqui...A Karina tem razao. O pior sou eu que sou quase que obrigado a comer feijoada para poder comer feijao preto. Mas acho legal isso do Japao ter restaurantes de varios paises, alguns, inimaginaveis, no Brasil.

Anonymous said...

E aí Gisele tudo bem. Não dá para esconder a tua paixão por Nova Zelândia.
Ao descreveres as diferenças entre os pratos minha boca se encheu d'água, mesmo não conhecendo nenhum deles.

Por que não encaras a idéia de um restaurante por aí?
Um beijão bem grande.
Elias

Gisele Scantlebury said...

Karina, pelo menos, tem feijoada. O problema do café/restaurante da NZ é que em nada lembra a culinária do país.

Vitor, de acordo com a Embaixada da NZ aqui em Tokyo, esse é o único do gênero. Snif! Snif!

Caruso, concordo plenamente. Aqui você escolhe de que país você quer a comida, aí, decide o restaurante. Em Auckland também era assim. Acho isso super legal.

Pai, eu nem tento esconder porque não dá mesmo. Ainda bem que não é paixão cega porque eu consigo identificar os problemas e as coisas que não gosto na NZ. Mas, sem dúvida, é hoje o lugar onde mais me sinto "em casa". Mas, eu não vou entrar no ramo dos negócios familiares. Deixo os restaurantes como você, que faz isso super bem. Amo tu, urubu! =)

vitor said...

Olha, Gi. Aproveito para divulgar o meu blog. De uma passadinha lah! Bjos
http://novacipango.blogspot.com/