15 September 2006

Simples tarefas do dia-a-dia podem se revelar bastante complicadas aqui no Japão. Comprar absorvente foi meu desafio essa semana. No primeiro mês, eu usei os que trouxe da Nova Zelândia, mas precisava comprar mais. Claro que absorvente tem tudo a mesma "cara" em qualquer lugar do mundo e poderia sair mais uma daquelas coisas que eu compro só de olhar para a embalagem, se não fosse por um detalhe: eu tenho alergia a aqueles que são cobertos com material sintético. Para mim, tem que ser todo de algodão e foi justamente aí que virou um desafio porque, lógico, as informações nas embalagens estão em Kanji.

Ainda bem que agora eu posso contar com minhas colegas de trabalho, como diria o Sílvio Santos. Falei com a Karina sobre o problema e ela me indicou a Sílvia para ser minha consultora para assuntos íntimos e femininos – isso porque nós já temos o Caruso para assuntos gerais. A Sílvia bem boazinha tentou até encontrar fotos na internet, mas não fomos bem sucedidas nesse quesito. Então, ela escreveu num papel algumas palavras-chaves que eu deveria dizer à vendedora da farmácia. Também me indicou a marca preferida dela.

Com essas dicas todas em mão, o desafio se revelou bem simples. A vendedora, bem gentil, tentou encontrar um absorvente para mim feito 100% de algodão – tem uns até orgânicos, mas não há motivo para tanto. Saí de lá com dois pacotes: um para esse período e outro do tipo protetor de calcinha que na embalagem diz ser feito de algodão, mas nem sempre essa informação se refere à cobertura do absorvente, mas ao recheio, digamos assim. Os protetores de calcinha são popularmente chamados no Brasil de Carefree – em mais um caso onde a marca vira sinônimo do produto! Cheguei em casa, abri a embalagem para conferir e vi que estava tudo certo. Agora, é só comprar o mesmo todo mês.

7 comments:

Silvia said...

Gisele, para uma garota que esta fazendo sua estreia nas farmacias japonesas, nao esta nada mal, hein? Quer dizer que ate rolou uns altos bate-papos com a atendente? A primeira vez que fui comprar absorvente aqui no Japao, achei tudo muito exotico. Inclusive aquelas "asas" do lado! Mas agora... bem, para ter uma ideia, se fosse viver no Brasil, ia levar um estoque razoavel dessas com asinha!!! (^^)v

gisele.scantlebury said...

Silvia, so rolou conversa com a vendedora porque voce anotou tudo para mim. Do contrario, acho que tinha voltado para casa de mao abanando!!! :p

Onde voce morava no Brasil nao tinha como asinha? La no Nordeste tinha.. minha irma so usava de asinha.

Anonymous said...

Mesmo não sendo usuário arrisco o palpite: Não é com asinhas e sim com abinhas(abas).
Beijos,
Elias

Gisele Scantlebury said...

Paizao, estas certissimo!!! Nao tem asinhas e sim ambas. Eh que em ingles ele dizem asas (wings). Pois eh, meu portugues esta mesmo indo para o brejo.. Ainda bem que agora, pelo menos, passo boa parte do dia em contato com a minha lingua nativa. Do contrario, seria disso para pior!! Beijos!!!

Karina Almeida said...

eu adoro essas aventuras aqui no japao. uma vez, passei o dia ensaiando um dialogo com o vendedor de uma loja de moveis.

eu tinha comprado uma peca para o guarda-roupa (aquele cabo pra pendurar os cabides), mas o tamanho estava errado.

eu fui sozinha pedir para trocar. sem consultar os amigos-dicionarios e deu tudo certo!

e quando da errado, pelo menos serve pra gente rir :D

Raquel said...

Ah, eu tive uma experiencia tragicomica com absorvente. Comprei aqueles modelos noturnos, mais longos e tal. Quando cheguei em casa levei um susto: era tao, grande, mas tao grande que parecia que era uma frauda geriatrica! Nem cabia na calcinha, um horror...

Raquel said...

Ai, que grave! Escrevi fraUda, em vez de FraLda. Corrigindo, eh fralda, FRALDA!